http://streaming26.hstbr.net/player/alyssonoas-8967/itunes.pls Blog do Dyago Fágner: ESCOLINHA DE SURF NATIVOS EM AÇÃO DE CAIÇARA E SÃO BENTO DO NORTE/RN REALIZA PALESTRA E ORIENTAÇÃO SOBRE O LIXO NA PRAIA

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

ESCOLINHA DE SURF NATIVOS EM AÇÃO DE CAIÇARA E SÃO BENTO DO NORTE/RN REALIZA PALESTRA E ORIENTAÇÃO SOBRE O LIXO NA PRAIA











 As praias são o destino preferido de milhões de pessoas que querem aproveitar o espaço natural para nadar, relaxar, praticar esportes e contemplar a beleza natural do litoral. Por isso é muito importante que as praias estejam em boas condições, para proporcionar um momento de lazer seguro. Aliás, esse deve ser o primeiro critério ao escolher o local que vai levar sua família nas férias.
Após anos desrespeitando as praias brasileiras e o meio ambiente em geral, temos visto uma crescente preocupação com perdas de biodiversidade, altos níveis de poluição e transformação ambiental. O Brasil, em particular, tem uma vasta área costeira, com cerca de 8.698 quilômetros de extensão e alcança mais de 400 municípios – grande parte recebem alto número de turistas.
O principal problema ambiental das praias brasileiras é os resíduos sólidos na areia e na água. A população das cidades litorâneas e turistas são a principal causa desse problema, principalmente na época de verão. O lixo também pode vir dos rios que deságuam na região costeira. O problema é de extrema gravidade, pois atrai vetores de doenças graves, proliferação de microrganismos patógenos, transmissão de doenças a usuários e traz riscos aos animais marinhos.
Essas informações são comprovadas por vários estudos feitos em todo o país. Na praia de Boa Viagem, em Recife, por exemplo, foram coletados mais de 20 mil itens de resíduos sólidos num período de dois meses, em uma área de 900m². O maior gerador desses resíduos eram os usuários da praia que descartaram inadequadamente canudos, garrafas de água, copos e embalagens de sorvetes, além de restos de comidas.
Os prejuízos são imensos, com gastos altos com a limpeza pelos órgãos púbicos, e prejuízo com a perda do potencial turístico causado pela alteração estética e pela contaminação do ambiente. O meio ambiente é o que mais sofre. Segundo estudos, 54% de todas as espécies de mamíferos marinhos, todas as espécies de tartarugas marinhas e 56% espécies de aves marinhas já foram afetadas pelo emaranhamento ou ingestão de lixo.
No Brasil, a Resolução CONAMA 274/2000 determina os parâmetros para a qualidade da água em que se vai banhar, porém, os testes não são realizados com frequência e são feitos em pontos muito espaçados, o que os torna insuficientes para a segurança dos banhistas. Outro problema é que não existe, no Brasil, legislação para padrões sanitários para a qualidade da areia nas praias. Em um estudo feito em 2010, por exemplo, mostrou que a areia nas praias da Baía de Guanabara continha fungos em 88,3% das amostras.
Outros fatores que contribuem para a degradação das praias brasileiras são a presença de animais que contaminam a areia com fezes e urina. Outros animais também são atraídos pelos restos de alimentos, como os pombos, que são transmissores de doenças. Existem ainda a água residual contaminada por esgoto, a falta de banheiros públicos em praias turísticas, ambos contribuem para a falta de qualidade da água balnear.

Ainda existem muitos outros problemas que atingem o meio ambiente, como a informalidade das barracas na praia, vendedores ambulantes, alto número de banhistas, riscos de contaminação dos alimentos comercializados na praia, a retirada da vegetação para maior espaço, a impermeabilização nos espaços a beira e mar e outros. O importante é tentar fazer sua parte como turista, morador e cidadão. O lixo que jogamos na praia vai prejudicar o meio ambiente, outras pessoas e a nós mesmos de uma forma ou outra.

Blog Informática e Fotos

Nenhum comentário:

Postar um comentário